Em ação voluntária, alunos de Medicina da FAMINAS levam mais qualidade de vida para moradores de cidade no Mato Grosso


Em 01/06/2021 às 11h05

Por: Comunicação

Movidos pela vontade de fazer a diferença na vida de muitas pessoas e, ainda, aplicar na prática os conhecimentos que vêm adquirindo, os estudantes Brunna Fernandes, Marinna Guimarães e Raphael Rocha, do curso de Medicina da FAMINAS, conduziram uma ação voluntária na pequena Rondolândia, município do estado do Mato Grosso com pouco mais de 3,5 mil habitantes.  

 

O projeto, intitulado "Prevenção, educação e rastreamento de doenças respiratórias em meio à pandemia da Covid-19", contou com o apoio da Prefeitura Municipal, que instalou tendas para que os acadêmicos pudessem, ao longo de três dias, levar informação, distribuir kits com cartilhas e álcool em gel, além de realizar testes de glicemia e pressão arterial na população. Também integraram o grupo as alunas Gabriella Guedes e Joyce Ferreira, de outras instituições de ensino de Belo Horizonte. 

 

Além da região central da cidade, o trabalho voluntário aconteceu na zona rural e em uma aldeia indígena. "Conseguimos enxergar o impacto positivo que nós, futuros profissionais de saúde, podemos levar para a vida de tantas pessoas, a partir do atendimento humanizado e da empatia. Foi muito gratificante saber que alcançamos o objetivo de servir à população e fazer o bem", afirma Raphael Rocha, aluno do 6º período. 

 

Raphael e Brunna são, respectivamente, vice-presidente e presidente da Liga Acadêmica de Família e Comunidade, vinculada ao curso de Medicina da FAMINAS. Os estudantes contam que já havia o interesse em conduzir um projeto social deste tipo e, por conta da amizade com a Gabriella, que é filha do Prefeito da cidade, o grupo encontrou esta possibilidade para ir além das fronteiras de Minas Gerais, conhecendo novas culturas e levando mais saúde para as pessoas. O projeto foi registrado no setor de Extensão da FAMINAS, que garantiu todo o suporte para a execução da iniciativa